A 3M usa cookies neste site Informações detalhadas sobre cookies e seu uso podem ser encontradas na nossa Política de Privacidade. Você pode personalizar as definições relacionadas com os cookies a qualquer momento, clicando em Preferências do rodapé desta página.

Ao clicar em "Aceitar e Prosseguir" você reconhece que concorda com o uso de cookies no seu computador

Aceitar e Prosseguir

Ir para Navegação do Site Ir para Conteúdo principal Ir para Navegação Principal All 3M.com Site Map

6° PRÊMIO INSTITUTO 3M PARA ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS
Edição 2015

Com o objetivo de incentivar o empreendedorismo de estudantes de graduação na implementação de soluções simples e de baixo custo que promovam o desenvolvimento de tecnologias sociais e com inovação, o 6º Prêmio Instituto 3M para Estudantes Universitários busca apoiar as soluções para problemas sociais, em qualquer área do conhecimento, de uma Instituição de Ensino Superior (IES) reconhecida pelo MEC a partir da troca de conhecimentos entre professores, estudantes e sociedade.

FAQ - Regulamento

O projeto “Telhado Verde” é o grande vencedor
do 6º Prêmio Instituto 3M para Estudantes Universitários

Copos plásticos descartados serão transformados em telhas sustentáveis, leves, duráveis e de baixo custo. A ideia do ‘Telhado Verde’ - do estudante Ulysses Raphael Gomes Nobre, da Universidade do Estado do Amazonas - venceu a 6ª edição do Prêmio Estudante Universitário promovido pelo Instituto 3M de Inovação Social. O valor de R$ 30 mil da premiação será usado para implantar o protótipo de fabricação das telhas em uma comunidade na periferia de Manaus, nos próximos seis meses. A entrega foi feita pelo presidente da 3M do Brasil, Jorge Lopez, que parabenizou os participantes, declarou que o apoio aos jovens será fortalecido e salientou que a iniciativa é um orgulho para a 3M.

A avaliação dos seis projetos finalistas, selecionados entre os 240 inscritos, ocorreu no dia 3 de julho após apresentação à banca composta por gerentes técnicos e de marketing da 3M do Brasil, por professor da Unisol e pelo diretor de redação da Revista Galileu. Eles consideraram ideias que podem ser colocadas em prática e contribuir para a transformação social, usando tecnologias inovadoras, de baixo custo, fácil aplicação e impacto social. Antes do resultado todos os finalistas participaram, durante dois dias, de cursos sobre empreendedorismo, gestão e aprimoramento de projetos oferecidos pela Unisol (Universidade Solidária, parceira no Prêmio).

Os finalistas também são vencedores

Ulysses disputou a final com outros cinco projetos de estudantes da Universidade Potiguar de Natal/RN (equipamento que purifica a água por método de evaporação e condensação), da Universidade Federal de São Carlos/SP (misturador compacto que transforma óleo de cozinha usado em sabão), do Centro Universitário de Belo Horizonte/MG (extrusora de baixo custo que usa cascas de coco para fabricar madeira sintética), da Universidade Federal de Santa Catarina em Florianópolis/SC (jogo interativo para crianças com deficiência visual) e da USP em São Carlos/SP (equipamento automático que corta garrafas de vidro e transforma em copos e objetos de decoração). “Não desistam”, declarou Mara Fioravante, presidente do Instituto 3M, incentivando os estudantes a aperfeiçoarem as ideias inscritas e desenvolverem o empreendedorismo.

“São todos vencedores por chegarem até aqui”, comentou o professor Luiz Fernando Coelho de Souza, membro do júri e consultor da Unisol. Ele considera que a realização de cursos e workshops para os finalistas ajudou a amadurecer os estudantes, que se tornaram mais confiantes após receberem orientações sobre empreendedorismo e avaliações críticas que indicaram o que pode ser melhorado em cada projeto. “Este ano foi muito difícil chegar ao resultado, pois todos os projetos são muito bons” disse Luiz Serafim, Head de Marketing Corporativo da 3M e um dos incentivadores do Prêmio. Ele colocou a equipe de técnicos da 3M à disposição dos estudantes para ajudar na continuidade do desenvolvimento dos projetos.

Um telhado sustentável para a comunidade

O projeto do Telhado Verde tem um apelo ambiental, pois usa como matéria-prima copos descartáveis usados e vasilhames de água vencidos. Ulysses tem 22 anos, é aluno do 9º período do curso de Engenharia Química da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e teve a ideia logo no início do curso, ao observar áreas descobertas na universidade – causando transtorno aos alunos em dias de chuva – e o grande volume de copos descartáveis que se acumulavam ao lado dos bebedouros. “O mais difícil foi achar quem acreditasse na ideia”, relembra o aluno, que encontrou apoio da professora de Materiais, Regina Moryia. A dupla passou a recolher os copos pela universidade (onde são descartados mensalmente cerca de 40 mil copos plásticos) e no shopping Plaza (1 milhão de copos/mês no lixo), para os testes de laboratório e fabricação das primeiras peças. São necessários cerca de mil copinhos para fabricar uma telha.

De formato semelhante às telhas convencionais, o novo produto é bem mais leve e pode ser fabricado em cores ou translúcido. Testes de durabilidade revelaram uma vida útil de 15 anos e o custo de fabricação é da ordem de 30 a 45% menor em comparação ao sistema tradicional, com a vantagem de usar apenas material descartável, enquanto as demais telhas plásticas usam componentes oriundos do petróleo. Os testes de conforto térmico serão os próximos a serem realizados. Nos próximos seis meses o Jardim Mauá, na periferia de Manaus, receberá a primeira planta industrial e a comunidade será capacitada para assumir o processo de industrialização e gestão da unidade. Com a consolidação desta etapa de implantação, o próximo passo será replicar o projeto em outras localidades.


Emocionado, o jovem Ulysses recebeu o prêmio do presidente da 3M do Brasil, Jorge Lopez: “vocês são o futuro do Brasil”.



José e Mateus (criaram equipamento para transformar óleo em sabão, na UFSCar) com Marcus Vinícius (de barba, que criou jogo para crianças cegas na UFSC). Ao lado, de camiseta preta, Ulysses (o vencedor com o Telhado Verde da UEA), seguido de Vanderli (da Universidade Potiguar, que patenteou o projeto de limpeza da água), Thainá e Gustavo (do Centro Universitário de BH, que querem fabricar madeira sintética a partir do coco) e Rubens (da USP São Carlos, que transforma garrafas de vidro em copos).



Em caso de dúvidas entre em contato com a organização do 6° PRÊMIO INSTITUTO 3M PARA ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS 2015 pelos telefones (11) 3372-4387; 3372-4323; 3372-4366, de segunda a sexta-feira, das 9h00 às 18h00, horário de Brasília, ou pelo e-mail premioinstituto3m@unisol.org.br.